terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Da teoria para a prática


As motas em teoria são uma grande ideia, alta velocidade, grande aceleração, ar livre e tudo por um preço inferior a um Renault Twingo, brilhante ideia. Mas como tudo na vida, há sempre um senão.

Quando temos um acidente num Twingo, temos ainda algum metal a nossa volta, mesmo que seja pouco, para nos proteger do que seja que nós tenhamos batido. Além disso temos airbags, cintos de segurança, barras de dissipação de energia etc.


Tudo isto para evitar que sejamos tornados em vegetais, os nossos órgãos sejam doados a um estranho qualquer ou pior ter de ver o Natal dos Hospitais ao vivo por que tivemos o acidente na semana antes do natal.


Ao conduzir uma mota é óbvio que mais dia, menos dia vamos cair dela, tal como cada pessoa que tira carta de carro mais dia, menos dia vai bater em qualquer coisa. No meu caso foi no quarto mês de carta uma parede, e lá se foi o lado direito do meu carro.

Todos os amantes das duas rodas tem de cair da mota para se tornarem motociclistas, é uma regra. Aqui mais uma vez se aplica a nós condutores, não somos verdadeiros condutores até termos um acidente com o carro.


E para mim prefiro ter um acidente de carro com todos os airbags a minha volta, do que aparar a queda da mota com a minha cabeça. Esse é o problema das motas, a parte do cair, por que tudo o resto parece-me uma boa ideia, em teoria.

E desde a última semana gosto de motas ainda menos, pois uma enfiou-se na traseira do meu carro quando parei numa passagem de peões. O resultado foi, o vidro de traz partido, e a porta traseira com duas crateras que rivalizam com as da Lua.

Como tenho a parte de traz do meu carro desfeita, tive de trocar o meu carro por um Renault 19 que é do meu pai, enquanto o meu é arranjado. Aqui vão alguns números, motor 1.4 TSE com 80 cv (no ano em que foi lançado), 0-100 em 12 segundos (no ano em que foi lançado), os consumos 6-7 litros aos 100 (segundo o meu pai) nas minhas mãos deve andar nos 10 litros.


Motor de injecção, direcção assistida, turbo, ar condicionado, vidros eléctricos, bancos em pele aquecidos, rádio com leitor de cd e airbags para condutor e passageiros, são algumas das muitas coisas que este carro não tem. E acreditem que não tem muita coisa, o que se torna um pesadelo conduzi-lo em cidade, que é onde eu vivo.

Para trabalhar tem de se puxar o ar, coisa que eu não fazia desde a Idade Média, para se estacionar tem de se ir fazer umas sessões de levantamento de pesos num ginásio, o mesmo para abrir ou fechar os vidros.

Os piscas não auto cancelam, cada vez que saiu num cruzamento á direita a luz do pisca fica eternamente ligada, até empurrar o manípulo para a posição de origem, os travões não funcionam, travar ou abrir a porta produz o mesmo efeito e a caixa de velocidades é completamente inútil.

Na teoria este carro não é o melhor opção para circular nas nossas estradas, e lamento informar que é verdade na cidade este carro é completamente horrível comparado com os carros de hoje em dia. Mas se o levarem para uma estrada com curvas, ai as coisas mudam de figura.


Nas curvas torna-se numa máquina totalmente diferente, curva de uma maneira como nunca tinha visto, devagar mas de uma forma divertida sem grandes dramas. Sinceramente prefiro o 19 a muitos carros modernos.

O motor não é mau de todo e a caixa deixa de ser tão inútil se o motor for levado a rotações mais altas, e numa estrada segundaria não preciso de estacionar, então não noto a direcção pesada. Os travões continuam a ser maus, mas como não vou assim tão depressa não fazem assim tanta falta.

O resultado é uma experiencia de condução bastante agradável é bem divertida, e no final de contas isso é o que interessa. Um conjunto de coisas más fazem algo que é essencialmente fantástico, isso é aquilo que mais gosto nos automóveis, aquele factor que os torna mais humanos, a imperfeição.

Uma boa ideia em teoria não funciona na prática, e uma menos boa funciona ... eu adoro isso.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

E já agora Boas Festas …

Em Portugal no final do século houve uma loucura com um carro como eu nunca tinha visto, e nunca mais vi desde então. Parecia que cada vez que virava uma esquina encontrava um, sempre que ia numa recta com mais de 20 metros, um desses carros passava por mim a um milhão km/h fosse qual fosse a estrada, hora do dia ou condições metrológicas.

Esses carros foram especialmente bem aceites pela comunidade Tuning portuguesa, principalmente por serem baratos, e como já tinha dito conseguirem atingir um milhão km/h, e depois havia uma enorme colecção de plásticos que se podia comprar para colar ao carro. Como resultado os "Tuners Boys" e "Street Racers" adoravam este pequeno carro francês, e fizeram dele uma lenda.

Provavelmente já sabem que carro estou a falar, sim é o Citroen Saxo Cup. Esse pequeno carro fez maravilhas em Portugal, todos os miúdos com carta acabada de tirar queriam um mais do que a própria vida. 


Sinceramente, nunca gostei muito do Saxo, sendo o principal factor, os seus condutores. A maior parte das pessoas que conheci com um Saxo Cup eram idiotas com chapéus voltados ao contrário e demasiados SubWoofers e colunas na mala do carro.

Quanto a mim o tipo de pessoas que conduz um determinado carro, pode estraga a reputação deste. Por exemplo Audi R8 carro brilhante, provavelmente uns dos melhores carros feitos. O Ricardo Quaresma e o Abel Xavier têm um R8, acho que não preciso de dizer mais nada. Isso para mim chega para não querer um.


Os jogadores de futebol gostam de coisas brilhantes, que dêem nas vistas, vejam os brincos do Ronaldo. Nunca se vai ler na imprensa cor-de-rosa, “Cristiano Ronaldo têm acidente em Ford Fiesta Diesel”, é sempre um Ferrari ou um/a Gallardo.


Mas agora a Citroen lançou um carro que acho brilhante, o carro mais interessante lançado este ano, falo claro do DS 3. É simplesmente lindo, quem está a procura de um carro pequeno, pratico, barato têm de comprar o DS 3 é o melhor carro no mercado nesse segmento.

Mas quanto a mim há um pequeno problema. A reputação da Citroen, temo que a reputação da marca francesa possa deitar tudo por água abaixo. Se formos ver bem os Citroen não são particularmente bem construídos e nem são conduzidos pelas pessoas mais interessantes do mundo.


Ora vejamos, os C5 C6 e C8 são conduzidos basicamente por pessoas com mais de 50 anos, pessoas na reforma ou a espera dela. Citroen C4 por contabilistas o Coupé e C2 por os antigos donos do Saxo Cup. Os pequenos C1 e C3 geralmente são conduzidos por raparigas com má visão, que é a única explicação para comprar um e não comprar um Alfa-Romeo.

Então parece-me que o DS 3 vai cair num destes grupos das pessoas menos interessantes da sociedade, e a sua reputação vai ser arruinada. O que é pena o DS é um carro muito giro, e eu acho que ficava bem uma rapariga gira ao volante.

Por isso Diana Chaves e Mariana Monteiro se estão a ler o Blog e estão a pensar comprar um carro, por amor de deus comprem um DS 3 e salvem a reputação deste carro.


E já agora Boas Festas …!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Estrada molhada !

Eu gosto do tempo de chuva, gosto particularmente de ouvir chover, desde pequeno que gosto disso, não sei porquê apenas sei que gosto. E se têm passado as ultimas semanas em Portugal, provavelmente já repararam que tem chovido uma coisinha e já não esta tanto calor como estava em Agosto.


Longe vão os dias de verão passados a beira-mar, ou no café ao final da tarde a beber uma cerveja com os amigos enquanto se espera o fresco da noite. E quando chega a noite perto da meia-noite, sai-se com o carro para dar uma volta, vidro aberto para entrar o ar fresco.

No verão a única altura boa para se andar de carro, é a noite quando está fresco e as estradas estão vazias, aqui no Algarve de dia esta demasiado calor, e montes de gente por tudo o que é lado. As gentes do sul já estão habituadas a isso, tranquilidade o ano todo e maluquice no Verão.

Eu sou do Alentejo, na minha terra não há duas coisas que há no resto do país, primeira, não há muitas pessoas e segunda, não há trânsito um paraíso na terra. E quando vim para o Algarve o primeiro Verão achei isto de loucos, não se conseguia ir a lado nenhum, principalmente em Agosto.


Então quando chega o frio e a chuva não temos ninguém para encher as estradas, as plantas recebem a chuva que tanto precisão e tudo fica verde e cheio de flores. E tudo fica óptimo nos Algarves, bem na verdade não é bem assim.

As estradas aqui com chuva são mais perigosas que o George Bush com as forças armadas mais poderosas do planeta. Nunca se sabe o que vai acontecer, nem que país ele vai invadir a seguir. Então para se conduzir aqui com chuva temos de estar bem acordados, caso contrário acabamos por ir bater numa Alfarrobeira ou num “camone” que acabou de chegar de Inglaterra.


Mas provavelmente só vão bater num Espanhol a 10 km/h na faixa mais á esquerda da A22, que não deixa passar ninguém. E isso não é motivo de preocupação porque se lhe bater ele nem vai notar, já repararam nos carros deles, não têm um painel do carro sem mossas ou riscos

E como os pneus de traz do meu carro são mais escorregadios que uma sardinha de Portimão, ( viram o que eu fiz aqui ) ando constantemente a fazer slides, sempre que passo o limite numa curva apertada ou numa rotunda abençoada pela chuva.

Não me levem a mal os slides são divertidos, mas quando eu os quero fazer. Quando o carro os faz sem me pedir licença, ai as coisas começam a perder a piada e começa tudo a ficar um bocado assustador. Principalmente quando se fica a milímetros da tal Alfarrobeira que vos falei á pouco.

Sinto falta das noites de verão em que está calor e as noites são pequenas para tanta estrada vazia. E já agora, se vierem ao Algarve no Inverno conduzam com cuidado, os "camones" são poucos e nos precisamos deles.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O futuro do planeta

Ontem acordei cedo, e enquanto tomava o pequeno-almoço via um documentário sobre uma equipa de cientistas que estudava o clima no nosso planeta. Normalmente não é uma coisa que me interesse muito, mas segundo estes cientistas o aquecimento global não é causado pelo dióxido de carbono, mas sim por raios cósmicos, seja lá o que isso for.


O que isto quer dizer é fantástico, o carro não esta a matar o planeta, e os ursos polares já podem viver os seus dias descansados no seu cubo de gelo, e os holandeses já não vão morrer todos afogados por causa do carro.

O que são óptimas notícias se me perguntarem a mim, estou um bocado farto de ecologistas com as campanhas “Go Green!” para salvar o planeta temos de ter carros Híbridos e carros com 2 cilindros e meio, com autocolantes com folhas verdes colados no para-choques.


É tudo uma paranóia, e está completamente fora de controlo. Ainda há uns anos a traz houve uma paranóia semelhante, a maior parte das pessoas já nem se lembra disso, mas a paranóia era a camada do ozono, ou o buraco desta para ser mais preciso.

Nessa altura íamos todos morrer queimados porque o buraco deixava passar os raios do sol. Mas de repente já ninguém fala nisso, será que remendaram o buraco?!. Em 2001 íamos todos morrer com Antrax, agora já não há Antrax para ninguém, depois foi a gripe das aves, no ano passado foi a gripe suína. O que me leva a pensar qual será a próxima, o meu dinheiro está na gripe piscícola, e lá vamos todos falecer outra vez.

Geralmente não me chateia as notícias sensacionalistas, mas quando isto interfere com o mundo automóvel, ai as coisas começam a mudar. A Honda costumava fazer carros altamente, motores que iam até as 9000 rpm como o Civic Type-r e o S2000, agora fazem híbridos.

A Toyota não faz um carro interessante desde 2000 quando lançou o Celica e o Mr2, 10 anos de carros sem piada nenhuma, eu olho para um Auris e apetece-me cometer suicídio, que carro tão sem graça não tem uma única coisa que se diga interessante.


E agora fazem um que mais parece uma máquina de lavar roupa. Aliás, isso é uma ofensa as maquinas de lavar roupa, a minha maquina é muito mais bonita e preferia ir para o trabalho na minha Candy Eclipsa do que num Toyota IQ.

Até a Aston Martin faz carros "tipo Smart" e isso para mim é simplesmente errado, é o mesmo de beber um tinto alentejano sem álcool. E o pior disto tudo é, quem compra um Hibrido não quer saber se esta a salvar o planeta, só quer mostrar aos outros que comprou um híbrido que salva planetas.

A verdadeira razão que este tipo de carro começou a ser feito é por que o petróleo está a acabar, mas isso é outra história. Mas como a Cameron Diaz tem um Prius e o George Clooney tem dois, agora toda agente tem de ter um híbrido para salvar o planeta, e quem não tem um híbrido e calha a gostar de Lamborghinis ou Ferraris passa a ser o Hitler.


O mal não é tentar salvar o planeta, é o único que temos e devemos cuidar dele, o mal está em tornar em moda a salvação do planeta, e como todas as modas, um dia vai acabar.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Regresso ao Futuro <==

Como acontece com a maior parte das coisas da nossa infância devem ser deixadas lá, na infância. Como os meus heróis o MacGyver e o KITT, não perdia um episódio, quando dava o MacGyver as ruas ficavam desertas, toda agente ia para casa. E o mesmo acontecia com o Tom Sawyer, os bonecos animados eram altamente.

 
Mas como descobri há alguns anos, os heróis do no nosso passado devem ser deixados lá no passado, não devem ser trazidos para o futuro. Quando tentei ver um episódio do MacGyver nos anos 2000, ia cometendo suicídio, como é que podia ser, a minha série de eleição enquanto cresci ser tão má !?

Alguns dias atrás estive a rever esse grande filme, Regresso ao Futuro (Back to the Future). Quando era miúdo adorava este filme, cada vez que dava na televisão tinha de o ver, nem que significa-se ficar acordado ate altas horas da madrugada.


Não muito pelo filme em si, mas mais pelo carro, aquele carro era a fantasia de todos nós, todos queríamos um carro que deixava duas trilhas de fogo quando chegava aos 140 km/h,  Só de pensar o fixe que seria, acho que ainda quero isso hoje, um carro que deita fogo dos pneus e tem aqueles escapes malucos na traseira, para não falar nas portas que abriam ao contrario.


E enquanto via o filme e olhava para aquele carro pensava, "Bolas ainda continua fantástico". Mesmo passado estes anos todos ainda continuo a querer um igual. Finalmente tenho um herói de infância que ainda continua igual ao que me lembrava.

E isso pós-me a pensar, por que razão não fazem eles um carro que funcione como deve ser, com uma energia alternativa. Neste caso o carro funcionava a Plutónio e a Gasolina, o que fazia dele um Híbrido. Talvez seja essa a solução para a crise energética, carros que funcionem a Plutónio.


Eu sei que a ideia é um bocado ridícula, mas também já tentaram fazer carros que funcionam a luz solar, e para mim isso é ainda mais ridículo. Ora se pensarmos bem, na natureza as únicas duas coisas que funcionam a luz solar são, árvores e lagartos e ambos não se mexem muito. Um deles ia sendo extinto por um meteorito há 65 milhões de anos.

Deviam era fazer um carro como no filme, um que trabalhe a cascas de tremoços e a restos de cerveja, eu comprava um.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Sinto falta dos clássicos

Cada vez que ligo o rádio no carro parece-me que a música está cada vez pior, tão má que só me apetece arrancar as colunas, por isso a maior parte do tempo o rádio está desligado. Deveria ser o contrario a música deveria evoluir ser melhor com o tempo e com ajuda da tecnologia, devíamos ter obras-primas e no entanto não, temos Ke$ha, Lady Gaga e o ultimo cd dos Linkin Park.


E o mesmo se passa com os carros, devíamos ter máquinas no limiar da perfeição e que cada vez que entramos nelas e conduzimos nos fazem sentir mais perto do “Paraíso da Condução”. Mas na realidade isso não acontece, a tecnologia é usada em coisas que não fazem muito sentido.

Por que razão não fazem mais carros parecidos connosco humanos, que tenham uma alma, que se consiga criar uma ligação ao carro, que se sinta que foi feito com paixão e com um propósito maior do que carregar pessoas e bagagem. Sinto que esses carros hoje em dia são difíceis de encontrar com a excepção dos Alfa.

Os carros de hoje são mais um produto descartável, basicamente são construídos com uma data de validade, e chega ao final da data, são deitados fora e reciclados. As pessoas já não criam ligação as coisas que compram, estamos numa sociedade em que é mais pratico comprar outro do que arranjar o que está partido.


Eu ainda tenho o meu primeiro carro, um Renault 5 num bonito azul-escuro, e apesar dos seus 33 anos de idade ainda está novo. E para mim é impensável vender tal máquina, apesar de não o conduzir a uns anos ainda o adoro. Criei uma ligação com o carro e não me quero desfazer dele.

Sei perfeitamente que não é o melhor carro do mundo nem perto disso, sei que tem as suas falhas, muitas falhas para dizer a verdade. Mas isso é o que o torna interessante e que me faz gostar dele. É difícil explicar esta ligação mas é algo que não se explica apenas se sente.

Penso que com os carros antigos era mais fácil criar esta ligação, talvez porque estes eram feitos para durar e isso dava-lhes carácter e personalidade. Mas hoje … não me parece que seja o caso na maior parte dos casos, e de repente um carro com 6 anos passa a ser velho!


Sinto falta dos Pearl Jam e dos Nirvana na rádio, quando a música era música, e ainda sinto mais falta do Delta Integrale, Golf GTi e Audi Quattro os carros que marcaram a minha infância.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Mulheres ao volante ... segurança constante !?

Pelos vistos houve alguém que não tinha nada para fazer, e decidiu fazer um estudo para ver qual dos sexos era melhor ao volante. E o resultado foi ... as mulheres são melhores que os homens ao volante.
Para dizer a verdade quando li o titulo da noticia pela primeira vez nem liguei, e fui ler sobre o Paulo Bento ser o novo seleccionador nacional, que era muito mais interessante.


Mas como as noticias hoje não eram grande coisa, e como não tinha nada para fazer, resolvi dar uma olhadela. Segundo um estudo feito por uns Americanos, as mulheres são mesmo as melhores condutoras. Tem menos acidentes, e quando batem são acidentes de menor gravidade.

Quando era miúdo lembro-me de ouvir dizer: "Mulheres ao volante, perigo constante.". Será que isso ainda é verdade? Eu tenho más experiências com mulheres a conduzir, devo admitir. Já estive num acidente em que uma menina trocou o acelerador pelo travão. O BM que seguia a minha frente bateu no carro da menina, e eu bati no BM.

Como é óbvio a culpa foi nossa que seguia-mos a traz, e quem bate por traz tem a culpa. A não ser que a menina tivesse com os copos, o que explicava a troca dos pedais, mas não foi esse o caso. Imaginem ela a contar aos amigos que se enganou nos pedais, sem ter bebido nada! Eu mentia e dizia que tinha bebido duas garrafas de whisky, a vergonha era demasiado grande.


Mas o estudo explica que a eficácia na condução não tem a ver com a habilidade do condutor, mas sim com a agressividade com que se conduz. O que realmente faz sentido, porque certa vez apanhei uma condutora que seguia no seu Pegeout a 40 km/h numa estrada com traço continuo e ainda travava nas curvas.

Ao final de uns quantos quilómetros a minha agressividade tinha passado a níveis bíblicos, só queria era enfiar o meu carro no Pegeout dela (para não dizer outro sítio), só para acabar com aquilo. Tudo isto comprova o estudo feito, os homens são mais agressivos a conduzir que as mulheres.


Certa vez fui com uma colega de trabalho a uma reunião. Primeiro ela não conseguia manter uma velocidade constante na autoestrada e ia sempre aos solavancos, o meu pequeno almoço ia ficando no caminho. E quando chegamos ao destino foi em direcção a uns trabalhadores numa rotunda em obras levando uns cones a frente, e só parou quando lhe dei um grito.

Nunca tive tanto medo na minha vida, até anos depois andar num VW Lupo a 150 km/h. Medo muito medo. Mas ela nunca chegou a bater com gravidade, tirando uns quantos cones amassados. Provavelmente se fosse um homem, tinha ido a um milhão de km/h contra os trabalhadores, e eu tinha morrido num carro voltado ao contrario em uma grande bola de fogo.


Nesta altura devem estar a pensar, "Como raio é que ela não viu os cones nem os trabalhadores ?!". Bem, ela ia demasiado ocupada com o telemóvel a escrever uma mensagem ou coisa do género. O que é estranho porque geralmente as mulheres conseguem fazer varias coisas a mesmo tempo. Falam ao telefone, escrevem no computador e ainda fazem o jantar. Eu para escrever no blog só posso estar a fazer isto, não consigo fazer mais nada, nem ouvir música.

Portanto um estudo interessante e pelos visto 100% correcto, mas até que ponto isto é novidade? Bem se me perguntarem a mim, já sabia isto desde que os Romanos saíram da Península Ibérica, o que já faz uns aninhos. Para mim não é novidade nenhuma, as mulheres são melhores que os homens em quase tudo. Eu por exemplo preferia andar de carro com a miúda do Schumacher do que com ele.


Mas pronto isto é só a minha opinião ... há gostos para tudo.